Desenvolvimento de competências: 5 passos para aplicar na empresa

Tempo de Leitura: 4.5 min
como aplicar desenvolvimento de competências na empresa

O desenvolvimento de competências é um fator cada vez mais central do RH estratégico e das empresas de sucesso. E isso deverá ser progressivamente mais primordial para os negócios.

O Fórum Econômico Mundial projetou que, em 2025, o desenvolvimento de competências especialmente atreladas a soft skills será ainda mais importante para as organizações.

Vale ressaltar que uma gestão voltada ao desenvolvimento de competências não contribui apenas para o progresso das empresas e para gerar inovação e diferenciais competitivos.

Ela também torna a avaliação de desempenho muito mais assertiva e objetiva, ajudando a vencer este grande desafio das áreas de RH.

Para saber mais sobre a importância do desenvolvimento de competências dos colaboradores da empresa e como colocar esse processo em prática, continue a leitura!

O que é o desenvolvimento de competências nas empresas e qual a importância?

Primeiramente, é importante considerar que a competência se refere a um grupo de conhecimentos, habilidades, comportamentos e atitudes que norteiam a atuação do colaborador e que possibilitam que ele realize seu trabalho com eficácia.

Com isso, o desenvolvimento de competências consiste em um processo de análise, monitoramento e estímulo de competências técnicas e/ou comportamentais de cada funcionário da empresa.

Por sua vez, a gestão com foco nessa evolução de desempenho foca na detecção e administração das competências organizacionais e individuais mais pertinentes para o sucesso da companhia.

Entretanto, nesse caso, é comum e recomendado haver um alinhamento entre competências e metas dos profissionais e das empresas, de modo a detectar e preencher lacunas que estejam limitando seu progresso.

O processo se mostra extremamente importante, pois as competências dos colaboradores refletem, justamente, as competências do negócio.

Por exemplo, se houve o desenvolvimento de uma equipe com competências voltadas à agilidade na entrega de seu trabalho, isso deverá refletir em uma empresa reconhecida também pela agilidade no atendimento ao mercado.

Além disso, o desenvolvimento favorece a valorização dos colaboradores e, com isso, a retenção de talentos. Com o uso de uma matriz de competências, a avaliação de desempenho torna-se menos arbitrária e mais clara e assertiva.

5 passos para aplicar o desenvolvimento de competências na empresa

1. Detectar a situação atual dos funcionários

Para criar processos que realmente gerem a contribuição esperada, é importante ter em mente que as competências dos colaboradores apresentam diferentes faixas de domínio. Portanto, há diferentes níveis também de dificuldade.

No nível básico, o indivíduo tem alguma noção sobre a lacuna apresentada, porém não consegue apresentar progresso sem apoio. Isso caracteriza comumente o profissional em início de carreira ou em uma nova função.

Por outro lado, no nível médio, o colaborador já possui um certo domínio e autonomia, mas ainda apresenta dificuldade ou variabilidade no desempenho.

Já no nível avançado, o colaborador não apenas tem domínio sobre determinado processo, tarefa ou função, como também auxilia os colegas, atuando como um facilitador.

Profissionais com esse perfil apresentam mais do que competências técnicas. Sendo assim, podem ser desenvolvidos nas habilidades comportamentais e, especialmente, em liderança.

Conhecer o nível de cada profissional ajudará na criação de programas de desenvolvimento de competências realmente eficientes para a empresa e motivadores para o colaborador.

2. Atrelar as competências às diretrizes estratégicas

Você está familiarizado com a frase "o que é medido é feito"? Esse mantra do mundo corporativo está relacionado à melhoria contínua e à orientação a resultados.

A questão é: como se define com mais precisão as habilidades, comportamentos e atitudes de que os colaboradores necessitam para desempenhar suas funções com eficácia?

Como você sabe que eles estão qualificados para o trabalho? Em outras palavras, como você sabe o que medir?

Uma maneira de responder a tudo isso é vincular o desempenho individual aos objetivos do negócio.

Por exemplo: se sua empresa tem a meta de começar a exportar e atuar em mercados estrangeiros, ter colaboradores que dominem outros idiomas será algo importante para o sucesso do negócio.

Com isso, na matriz de competências e habilidades e nas ações de desenvolvimento de competências, oferecer cursos e certificações em línguas estrangeiras é algo que faz sentido e que contribuirá para o sucesso do negócio.

3. Planejar o processo em seus detalhes e envolver as partes interessadas

Com os conhecimentos e alinhamentos já obtidos até aqui, será possível projetar o que precisará ser feito para o desenvolvimento das competências identificadas.

Nesse estágio, o RH poderá conversar com os líderes de área para planejar as melhores maneiras de obter os resultados esperados. Pode também buscar o engajamento desses gestores.

Entre as possibilidades a serem avaliadas, estão capacitações profissionais online, formações híbridas (online + presencial), certificações profissionais, workshops, entre outras.

Criar ou atualizar o PDI (Plano de Desenvolvimento Individual) será importante, bem como definir com a diretoria orçamento e cronograma. É importante também ter um plano de comunicação para informar e motivar os colaboradores sobre as novidades.

Complemente a sua leitura!

👉 [INFOGRÁFICO] 5 vantagens do ensino a distância para capacitação profissional

👉 Certiport: solução da Pearson para certificar profissionais

4. Executar o que foi planejado

Depois de criar os processos e planos baseados em dados e colaboração, é hora de colocá-los em prática.

É importante não procrastinar o que foi previsto, uma vez que o desenvolvimento de competências é algo gradual e que não ocorre instantaneamente. Assim, qualquer atraso poderá também limitar os resultados desse processo e, também, da própria empresa.

5. Avaliar os resultados e promover melhorias

Esse é um processo cíclico, que não termina quando um colaborador participa de um treinamento corporativo.

Depois de participar das ações previstas, é importante mensurar se houve preenchimento das lacunas de desenvolvimento de competências previamente identificadas.

É necessário ainda avaliar se houve melhora na performance e nas entregas relacionadas a tais competências.

Por fim, é fundamental analisar os KPIs (indicadores-chave de desempenho) definidos para cada iniciativa.

A partir dessa análise, é provável que sejam detectadas oportunidades de melhoria no planejamento. Essas devem ser implantadas para garantir aprimoramentos contínuos dos processos de desenvolvimento de competências e dos resultados obtidos a partir deles.

Gostou dessas dicas de como aplicar o desenvolvimento de competências na sua empresa? Para impulsionar essa iniciativa, conheça também as Soluções Pearson Corporate voltadas ao desenvolvimento dos colaboradores!



Fique por dentro de inovações e dicas de negócio. 👇

Siga-nos no LinkedIn

ÚLTIMAS NOTÍCIAS