Hard skills e soft skills: como identificá-las na sua equipe

Tempo de Leitura: 3 minutos
gestor-de-equipe-sorrindo-para-camera-enquanto-segura-o-tablet-com-avaliacao-de-habilidades

Antes de iniciar o mapeamento das habilidades nos colaboradores da sua empresa e traçar o plano de desenvolvimento necessário, é preciso antes entender as diferenças entre hard skills e soft skills.

A expressão habilidades remete à aptidão das pessoas em executar alguma ação. Hard skills e soft skills são os nomes, em inglês, das competências técnicas (hard) e subjetivas (soft) de um profissional.

Até há pouco tempo, eram comuns os processos seletivos basearem-se, fundamentalmente, na avaliação das competências técnicas (hard skills) quantificáveis.

Ou seja, era analisado se o candidato, devido a cursos e treinamentos realizados, sabia ou não dar conta das funções detalhadas na descrição do cargo vago. Hoje isso mudou bastante. E para melhor.

A gestão de pessoas foi evoluindo e o lado técnico não é mais, isoladamente, um diferencial. É comprovado que as competências relacionadas à inteligência emocional são igualmente cruciais para alguém que almeja uma determinada posição.

Estas são habilidades não tão tangíveis; é o caso da resiliência, empatia, cordialidade, sensibilidade, paciência, comunicabilidade, equilíbrio mental e flexibilidade, entre outras.

Percebe como são subjetivas e referentes à personalidade, crenças, valores e caráter de cada indivíduo? As soft skills impactam diretamente o comportamento do profissional nas suas relações interpessoais.

Saiba como identificar as hard skills e soft skills do seu pessoal

1. Pessoa X posição

Com o suporte do setor de Recursos Humanos, elabore o mapeamento das hard skills e soft skills pertinentes a cada cargo da sua área.

Considere as atividades do dia a dia, resultados almejados, interação com outras áreas e com parceiros externos e aderência aos valores e à cultura organizacional (visão e missão).

Importante destacar aqui que este mapeamento não é a descrição da vaga. Trata-se do perfil desejado para o profissional que assume certa posição e as funções do cargo X ou Y.

Boa parte desta descrição, inclusive, é usada para captar talentos internamente ou no mercado quando uma oportunidade é aberta. A descrição da vaga é apenas o segundo passo desse processo.

2. Currículo e desempenho

Para identificar melhor as hard skills e soft skills do seu pessoal, resgate os currículos profissionais. Assim, você terá uma visão clara da formação de cada pessoa e do cargo que ela ocupa.

Confira o que tem no currículo e cruze com as habilidades indispensáveis ao funcionário atual dentro da posição. A interpretação disso deve ser feita paralelamente à avaliação de desempenho do time.

  • Como cada um vem se saindo nas suas metas individuais e coletivas?
  • Como lida com seus principais desafios?
  • Quais as dificuldades demonstradas no dia a dia?
  • Como tem sido a exposição do colaborador em relação aos colegas, líderes da empresa, fornecedores e clientes?

Estas respostas contribuem para comprovar não somente os conhecimentos (hard skills), mas também para analisar os aspectos comportamentais e emocionais (soft skills) de cada funcionário.

O levantamento pessoalizado é essencial, ainda, para observar mais profundamente sua equipe e ser justo na hora de reconhecer, valorizar e patrocinar capacitações e treinamentos.

3. O que você acha e o que eles acham

Mesmo já tendo cumprido as duas etapas anteriores, caso você não tenha tido uma conversa mais formal, recentemente, com cada membro da sua equipe, é hora de faze-lo.

Uma conversa franca e bem elaborada - não hesite em usar um roteiro de perguntas - é indispensável no processo de identificação de hard skills e soft skills dos seus colaboradores.

Inclusive, neste momento, há alguns testes no mercado que podem ser aplicados. A dinâmica deste bate papo individual é abrir espaço para entender como o funcionário vem se sentindo ao trabalhar com você como gestor. Verifique cuidadosamente se a sua percepção casa com a dele.

4. Desenvolvimento de competências

Para que fazer tudo isso? Para acertar no plano de desenvolvimento. Afinal, as hard skills e soft skills reunidas e equilibradas podem ser aprimoradas por meio de treinamentos, participações em eventos e palestras, cursos paralelos, capacitações dentro da própria empresa ou em instituições conceituadas.

A execução deste plano amplia as competências da sua equipe e alavanca resultados positivos. Profissionais competentes, dinâmicos e com os atributos complementares conquistados em treinamentos formam um time equilibrado, engajado e comprometido.

Em última análise, tudo isso propicia um ambiente produtivo, onde cada um se sente bem e todos saem ganhando.

Gostou das informações? Então, siga o nosso perfil no LinkedIn e fique ligado nas soluções que podemos oferecer!​

ÚLTIMAS NOTÍCIAS