Cultura organizacional: importância, benefícios e tipos

Tempo de Leitura: 3 minutos
mulher-afrodescendente-em-ambiente-corporativo-segurando-notebook-com-reuniao-sobre-cultura-organizacional-em-segundo-plano

Colaboradores desmotivados, clima de "cada um por si", talentos buscando oportunidades no mercado. Esses podem ser os sintomas da ausência de uma cultura organizacional.

Esse recurso estratégico deve ser um dos pilares das organizações que desejam aumentar sua competitividade, definir seu posicionamento no mercado e se diferenciar.

Isso tudo aliado à retenção de equipes compostas por pessoas que se sintam parte de um objetivo, queiram ajudar no crescimento do negócio, ao mesmo tempo em que se desenvolvem e atuam de forma inovadora e produtiva.

Ao contrário do que algumas pessoas ainda pensam, definir a cultura organizacional vai além do mobiliário diferenciado e colorido, dos objetos lúdicos espalhados pelo escritório e das roupas casuais. A motivação dos profissionais engloba mais do que esses atrativos e o salário ao fim do mês.

Ela está relacionada a um ambiente estimulante, no qual é possível perceber os valores, o posicionamento e os objetivos do negócio. Está ligada também à existência de um fit cultural entre empresa e profissional.

Portanto, estruturar processos por meio da definição da cultura organizacional determina crenças, comportamentos e hábitos que servem como subsídios para que os profissionais se sintam amparados e entendam a forma como a empresa faz negócios.

No artigo de hoje, acompanhe os passos essenciais para construir a cultura organizacional da sua empresa.

Afinal, como definir a cultura organizacional do negócio?

De maneira sucinta, podemos compreender que a cultura organizacional está relacionada à rotina do negócio e a quais diretrizes são adotadas para guiar o modo de agir e de pensar de cada um dos seus membros.

Embora esse conceito seja abrangente, é simples de perceber a sua presença no dia a dia da empresa.

Valores, normas, políticas, práticas, comportamentos, dress code, crenças, posicionamento, comunicação – todos esses elementos são reflexo da cultura organizacional de cada companhia.

Ter essa compreensão a respeito do posicionamento da empresa é essencial antes de iniciar a implementação da padronização e entender o DNA próprio da marca.

Também cabe uma reflexão sobre as práticas do negócio. Abraçamos a inovação nos processos? Incentivamos o recebimento de novas ideias? Como avaliamos um bom trabalho? Somos flexíveis? Nossos processos são bem definidos? Valorizamos o aprendizado dos colaboradores? Apoiamos a autonomia?

Este exercício ajuda a identificar algumas características inerentes e intrínsecas aos processos e serve como guia para estabelecer as diretrizes, condutas e valores desejados e que orientarão o trabalho de todos diariamente.

É interessante se aprofundar no processo e diagnosticar também o posicionamento da marca, o que ela gera aos clientes e quais são os seus diferenciais com relação à concorrência.

A etapa final para definir a cultura organizacional é não poupar esforços na comunicação, tanto nas ações de marketing, no atendimento, na divulgação, quanto nas reuniões, treinamentos e processos seletivos.

A cultura organizacional não deve ficar restrita a um quadro na parede, uma frase enviada no e-mail corporativo ou em um documento contratual – ela deve ser evidenciada a todo momento, reforçando o DNA do negócio e gerando identificação e reconhecimento.

Benefícios de construir (e seguir) uma cultura organizacional

Definir a cultura organizacional e garantir que ela saia do papel e seja posta em prática promove uma série de benefícios potenciais que contribuem para o crescimento da empresa e de seus colaboradores. Entre eles, destacam-se, dentre muitos outros:

  • Engajamento dos funcionários;
  • Atração e retenção de talentos;
  • Motivação das equipes;
  • Satisfação dos clientes;
  • Rentabilidade do negócio;
  • Fit cultural;
  • Ganho na agilidade dos processos;
  • Melhora do ambiente de trabalho;
  • Exemplos de tipos de cultura organizacional.

Valores, hábitos, crenças e comportamentos claramente estabelecidos e praticados pela empresa tornam o desenvolvimento dessas estratégias mais simples e orientam a forma de agir dos colaboradores.

Tudo isso é indício de uma cultura organizacional bem definida, positiva e forte.

Empresas que são comumente citadas como exemplos nesse aspecto são Google, Magazine Luiza, Starbucks e Toyota Motors.

Os motivos para isso são diversos: incentivo à criatividade, motivação, qualidade de vida, ambiente de trabalho saudável, otimização de recursos, responsabilidade social. Tudo pautado pela ética e adoção de uma política de afirmação dos valores.

Conclusão

Ao constatar todos os benefícios que definir a cultura organizacional pode trazer para a sua empresa, é chegado o momento de abraçar o desafio, de entender a organização e implementar essa cultura.

Para isso, identifique o posicionamento do negócio, adote uma visão transparente e estabeleça um ambiente agradável orientado por regras claras e que sejam do conhecimento geral.

Afinal, todos precisam estar a bordo para que tudo seja colocado em prática em cada ação ou decisão laboral.

Para continuar este trabalho, confira também nosso artigo com dicas para garantir que a cultura de diversidade e inclusão tenha espaço no ambiente de trabalho. ​

ÚLTIMAS NOTÍCIAS