RH estratégico: 6 erros para não cometer na hora da contratação

Tempo de Leitura: 3.5 min
RH estratégico erros de contratação

O RH estratégico é capaz de otimizar processos e de utilizar as tecnologias mais adequadas para auxiliar a tomada de decisões assertivas ao considerar cada profissional como parte integrante da estratégia da empresa.

Por isso, ele é cada vez mais reconhecido por promover a contratação de profissionais com fit ideal para a vaga e para a cultura da empresa, baseando-se especialmente na análise de habilidades e competências profissionais.

Se você também quer ter esses benefícios em sua organização, é fundamental evitar alguns erros comuns na hora da contratação. E, para ajudar você nisso, preparamos este artigo.

Confira nossas dicas para aprimorar seu processo de recrutamento e seleção e implementar um RH estratégico.

Quais os impactos de uma contratação errada?

Os impactos de uma contratação equivocada podem se estender muito além do fato de o funcionário simplesmente pedir demissão. Eles podem afetar os resultados financeiros da organização, além da motivação e do desempenho da equipe.

Portanto, uma contratação malfeita pode ter consequências graves. Não só pode comprometer o engajamento dos funcionários, como também aumentar os níveis de absenteísmo, reduzir a produtividade e, em última análise, afetar a lucratividade.

De acordo com um estudo da American Progress, pode custar cerca de 20% do salário de um colaborador substituí-lo. Assim, se sua organização tem uma alta rotatividade de pessoal, isso pode custar muito caro.

Além, é claro, dos impactos negativos no atendimento ao cliente, com a troca frequente de funcionários ou com a contratação de alguém não adequado para a função.

Complemente a sua leitura!

👉 4 dicas para aumentar a produtividade dos colaboradores

Evite esses 6 erros para garantir um RH estratégico

1. Não saber o que é RH estratégico

Primeiramente, é fundamental que os gestores e profissionais de RH compreendam a importância de um RH estratégico e como ele se diferencia dos processos do RH tradicional.

Reconhecer as competências profissionais de cada pessoa dentro do mapa estratégico da empresa é crucial para que se obtenha os melhores resultados por meio de contratações assertivas e de estímulos reais ao desenvolvimento dos colaboradores.

Isso se difere do foco em atividades burocráticas e da visão de departamento pessoal encontrados no RH convencional.

2. Não criar uma descrição de vaga precisa e atrativa

É importante descrever com precisão e honestidade o anúncio de vaga. Do contrário, é menos provável que você atraia candidatos com as qualidades e habilidades buscadas.

Uma boa descrição é mais do que uma simples lista de funções: deve apresentar a vaga em termos de seu propósito geral e identificar as principais áreas de responsabilidade - tudo alinhado à cultura e diretrizes estratégicas da empresa.

3. Não utilizar as tecnologias de RH estratégico

Há diversas tecnologias especializadas em otimizar o recrutamento e seleção. Elas ajudam a tornar esse processo mais ágil e eficiente, evitando contratações equivocadas.

Com isso, as tecnologias contribuem para que o seu trabalho e sua área saiam do estigma de entregas operacionais para aquelas com foco em resultados, que ajudam a atingir as metas da organização.

4. Não identificar corretamente as melhores habilidades dos candidatos

Por meio de uma série de técnicas, análise de dados e utilização de tecnologias, é possível identificar com mais facilidade quais são as principais habilidades, atributos e competências individuais de cada candidato.

Este erro de contratação tão comum pode ser evitado ao realizar uma análise completa e confiável por meio de testes inteligentes. Com os dados em mãos, é possível montar uma equipe de alta performance, com candidatos especialistas em diversas áreas e atividades.

5. Confiar demais no currículo do candidato

O quanto você pode confiar nas informações de um currículo? Quase 60% dos empregadores descobriram exageros e informações incorretas nos currículos de candidatos, conforme diz a pesquisa da Career Builder.

Portanto, embora os candidatos possam ter listado experiências e qualificações excelentes, é importante não fazer a seleção utilizando apenas a análise de currículo.

Analisar o perfil comportamental, as competências profissionais e as habilidades do candidato é algo que trará mais confiabilidade e precisão na hora de contratar novos talentos.

Complemente a sua leitura!

👉 A importância do mapeamento de perfil comportamental nas contratações

6. Ter um processo de contratação muito demorado

Devido ao grande volume de candidatos por vaga ou às dificuldades no processo de recrutamento e seleção, muitas equipes acabam prolongando o processo de contratação.

Uma das principais consequências disso é a perda de um candidato talentoso. Afinal, dificilmente um candidato qualificado irá participar de apenas um processo seletivo por vez. Isso significa que existe muita competição no mercado de trabalho pelo melhor talento.

Então, se seu tempo de contratação for muito extenso, os melhores candidatos provavelmente poderão aceitar ofertas de outras empresas quando a sua estiver pronta para fazer a contratação.

Aproveitamos para deixar uma sugestão. Conheça, a seguir, 6 Soluções e ferramentas que agilizam a seleção de pessoas!

ÚLTIMAS NOTÍCIAS